Resenha: O ar que ele respira / Brittainy C Cherry

Resenha: O ar que ele respira / Brittainy C Cherry

O Ar que ele Respira

Brittainy C Cherry

322 páginas / Editora Record


Como superar a dor de uma perda irreparável? Elizabeth está tentando seguir em frente. Depois da morte do marido e de ter passado um ano na casa da mãe, ela decide voltar a seu antigo lar e enfrentar as lembranças de seu casamento feliz com Steven. Porém, ao retornar à pequena Meadows Creek, ela se depara com um novo vizinho, Tristan Cole. Grosseiro, solitário, o olhar sempre agressivo e triste, ele parece fugir do passado. Mas Elizabeth logo descobre que, por trás do ser intratável, há um homem devastado pela morte das pessoas que mais amava. Elizabeth tenta se aproximar dele, mas Tristan tenta de todas as formas impedir que ela entre em sua vida. Em seu coração despedaçado parece não haver espaço para um novo começo. Ou talvez sim.


Olá leitores, hoje vou falar sobre mais um livro da maravilhosa Brittainy C Cherry.

Este livro conta a história da Elizabeth e do Tristan.
A história começa quando a Elizabeth resolve voltar para a cidade que vivia com seu esposo e enfrentar as lembranças de seu casamento com Steven.

Logo no seu retorno ela conhece o mal humorado, ignorante e solitário Tristan Cole, e este primeiro encontro não poderia ser pior, tanto que devido a um erro ela acaba apelidando ele de Pluto, já que sua filha quase entendeu o verdadeira palavra que ela proferiu a Tristan “puto”. Enfim, desde o inicio vemos duas almas despedaças por perdas que acabaram com suas almas, e que apesar de um início conturbado onde eles fingiam se tratar de outras pessoas, eles foram criando um vínculo e uma amizade, que virou um amor dos mais puros, que foi capaz de cicatrizar feridas e reconstruir corações completamente destroçados pela perda. .

“Sabe aquele lugar entre os sonhos e os pesadelos? Aquele lugar onde o amanhã não chega e o passado não dói mais? O lugar onde seu coração bate em sintonia com o meu? Aquele lugar onde o tempo não existe e é mais fácil para de respirar? Quero viver nesse lugar lá com você.”

Chorei litros no final, e me emocionei muito com a relação do Tristan com a filha da Lizzie. Uma relação de padastro e enteada das mais emocionantes que já vi e que cativa do início ao fim.
.
A Brit foi maravilhosa nesse livro, foi na medida certa, foi perfeito.
Está na minha lista de livros favoritos e fiquei com a certeza de que qualquer coisa que ela escreva, vou ler.

Espero que tenham gostado, e até a próxima postagem.