Resenha: Como num filme / Lauren Layne

Resenha: Como num filme / Lauren Layne

Resenha 🌷

#resenhameuromeo

223 páginas || @laurenlayneauthor || @editoraparalela


Sinopse: As regras são claras… até o momento em que são quebradas. Neste livro da série Recomeços, conheça a história de Ethan.

As únicas coisas que o mauricinho Ethan e a rebelde Stephanie têm em comum são o curso de cinema na Universidade de Nova York e o roteiro que precisam desenvolver juntos. Mas, quando a proposta de recriar clássicos de Hollywood se confunde com a realidade, eles acabam se tornando os protagonistas de uma história de amor digna de Oscar! 
Ela quer um quarto confortável em uma boa casa. Ele quer ficar longe de sua ex. Eles precisam de uma boa nota. Convencidos a ajudar um ao outro, os dois entram em um acordo: Stephanie será a namorada de mentirinha de Ethan enquanto ele a deixa morar em seu apartamento. Para isso, ela deverá fingir ser uma perfeita lady: discreta, arrumadinha e, claro, completamente apaixonada… igualzinha à personagem do filme que estão criando. 
Contudo, à medida que os dois se aproximam, Ethan se vê completamente apaixonado pela garota cheia de mistérios e contradições ao seu lado. Agora, ele vai ter que decidir: será que seus sentimentos são pela Stephanie de verdade? Ou apenas pela versão que ele criou?


Olá leitores, hoje trago a resenha do livro COMO NUM FILME, que é o segundo livro da série Recomeços, e que foi publicado pelo editora Paralela.

Ethan acaba de passar por uma grande desilusão, e querendo se ver livre um pouco da pressão de passar todo o verão na empresa da família, ele acaba se inscrevendo para um curso de férias de cinema.

E então quando está a caminho, ele cruza com a desconhecida, Stephanie.

Stephanie é o oposto de Ethan. Adora vestir preto, carrega muito a maquiagem, e vive com suas calças largas e suas botas, enquanto Ethan é o típico menininho da mamãe.

Só que por causa deste curso de verão, eles acabam tendo que trabalhar juntos e criar um roteiro de um novo filme que o professor os obriga a fazer juntos.

E quando eles decidem basear a história do filme, e fazer deles os atores principais, a regra é clara: nada de misturar a mentira com a vida real.

Mas será que eles são capazes de manter a atração que sentem apenas na mentira, ou a vida real vai ultrapassar todas as barreiras?

⠀⠀⠀⠀

🌷Eu amo casais improváveis. Sabe quando aquele casal tem tudo pra não dar certo, mas as diferenças fazem com que fiquem perfeitos juntos?

Este casal é assim. Ambos são o oposto em varias coisas e por isso a química toda acontece.

E o jeito como um acaba mudando o outro para melhor é o ponto alto da história.

Quando eu conheci o Ethan e a Stephanie no primeiro livro, eu claro que fiquei bem curiosa sobre a história dos dois, e aí quando vi que este livro era sobre a história deles, eu sabia que iria amar.

O nome do livro tem total relação com a história e eu iria assistir à uma adaptação dessa história com certeza, até porque é aquela típica comédia romântica que amamos assistir na Netflix.

Doce na medida certa, engraçado como deve ser, e uma história que mostra que as vezes uma pessoa pode esconder a verdade de si, por trás de roupas e um jeito, mas que seu coração guarda feridas que só quem viveu pode saber.

Terminei este livro apaixonada pelo casal, suspirando bastante e querendo muito ler o próximo livro, e ver como a história vai se desenrolar.

Resenha: Em pedaços / Lauren Layne

Resenha: Em pedaços / Lauren Layne

Resenha 🌷

#resenhameuromeo

245 páginas || @laurenlayneauthor || @editoraparalela


Sinopse: Nessa recontagem moderna de A Bela e a Fera, Lauren Layne nos traz uma história irresistível de perdão, cura e, acima de tudo, amor.Aos 22 anos, Olivia Middleton tem Nova York aos seus pés. Por fora, ela é a garota perfeita ― linda, inteligente e caridosa. Mas por dentro ela guarda um segredo terrível: um erro que a afastou das duas únicas pessoas que realmente importavam na sua vida. Determinada a esquecer o passado, ela deixa Manhattan e vai trabalhar como cuidadora de um soldado recém-chegado da guerra. Mas o que ela não esperava era que seu paciente fosse um jovem enigmático de 24 anos tão amargurado quanto cativante.Paul Landon está furioso ― com o mundo, com a vida, com o seu pai e, acima de tudo, consigo mesmo. Depois de sofrer na pele os horrores da guerra do Afeganistão, a última coisa que ele quer é a companhia de uma princesa nova-iorquina linda, mimada e irritante. A presença de Olivia parece tóxica para Paul, mas ele não consegue afastá-la, mesmo tentando muito.Por mais que lutem contra uma atração intoxicante, Paul e Olivia não conseguem se manter distantes. Agora, precisam decidir: eles vão ajudar um ao outro a curar as feridas do passado ou vão se manter, para sempre, em pedaços?


Olá leitores, hoje trago a resenha do livro EM PEDAÇOS, que é o primeiro livro da série Recomeços, e que foi publicado pelo editora Paralela.

Olívia Middleton tem a vida dos sonhos. Mora em Nova York, sua família é muito rica, é linda, e possui amigas das quais gosta muito. É delicada e passa a imagem perfeita.

Porém, por causa de um erro, ela acaba afastando duas das pessoas mais importantes de sua vida.

Vivendo com a culpa e cansada dessa vida de luxo e futilidades, ela acaba decidindo se candidatar a uma vaga de cuidadora no Maine.

Seu trabalho é ser cuidadora de um sobrevivente da guerra. A princípio ela acha que encontrará um homem mais velho e totalmente incapacitado, só que a realidade não é bem essa.

Ele é lindo, mesmo com as cicatrizes e o problema na perna, mas existem marcas da guerra em um homem que ninguém pode imaginar.

Será que Olívia é capaz de curar este homem sem coração? Será que a bela pode recuperar a alma da fera?

⠀⠀⠀⠀

🌷Quando eu decidi começar esse livro, eu vi algumas opiniões negativas e confesso que em um primeiro momento eu fiquei receosa.

Como eu já havia lido Mais que amigos, da mesma autora, eu decidi dar uma chance.

Claro que cada um tem uma opinião, mas eu antes de começar, pela sinopse, já fui preparada para o mocinho ser bem ogro, e pra mim que não me incomodo com isso, não senti tanto.

Eu gostei da leitura. Eu sempre fico com pena das pessoas e sempre me coloco no lugar do sofrimento do outro, e por mais que nada justifique certas atitudes, eu sempre tento ver pelo outro lado e isso chama-se compaixão e empatia.

Então eu já comecei ele sendo empática e praticando a compaixão pelo outro, e portanto não me incomodei com o mocinho.

E eu torci por eles. Torci pra Olívia se reencontrar, pra ser feliz novamente, apesar do erro dela ter custado a felicidade de duas pessoas. E eu torci demais pro Paul recuperar sua alma que estava “perdida”. Algumas vezes eu quis bater nele, mas em alguns momentos eu entendi o sofrimento dele.