Resenha: A Guerra dos Mundos / H. G. Wells

Resenha: A Guerra dos Mundos / H. G. Wells

 

a guerra dos mundos

Resenha

A Guerra dos Mundos

H. G. Wells

296 páginas ||  Suma das Letras


Sinopse: “Eles vieram do espaço. Eles vieram de Marte. Com tripés biomecânicos gigantes, querem conquistar a Terra e manter os humanos como escravos. Nenhuma tecnologia terrestre parece ser capaz de conter a expansão do terror pelo planeta. É o começo da guerra mais importante da história. Como a humanidade poderá resistir à investida de um potencial bélico tão superior? Publicado pela primeira vez em 1898, A guerra dos mundos aterrorizou e divertiu muitas gerações de leitores. Esta edição especial contém as ilustrações originais criadas em 1906 por Henrique Alvim Corrêa, brasileiro radicado na Bélgica. Conta também com um prefácio escrito por Braulio Tavares, uma introdução de Brian Aldiss, membro da H. G. Wells Society, e uma entrevista com H. G. Wells e o famoso cineasta Orson Welles — responsável pelo sucesso radiofônico de A guerra dos mundos em 1938 —, que fazem desta a edição definitiva para fãs de Wells. “


Eu comecei esse livro e não gostei logo de cara. Mas assim que entendi a proposta dele não consegui largar! Eu li da metade pra frente em menos de dois dias. O que é bem pouco tempo, pois ele foi escrito no século 19 então requer uma certa atenção.

Esse livro é narrado em primeira pessoa por um personagem que não nos é apresentado formalmente, (não aparece seu nome em momento algum) como um relato posterior, feito em algum momento já depois do ataque alienígena. Era bastante comum ele usar expressões como “naquele momento ainda não sabíamos” e em outros “Caro leitor”. Tudo que sabemos sobre o narrador é que ele é um escritor de ensaios filosóficos, casado, e vive em um povoado próximo a Londres, onde os primeiros marcianos chegaram. E é por meio do relato deste homem que passamos por toda a invasão marciana e sabemos seus motivos.

Eu recomendo muitooo! Esse livro é uma das obras mais importantes da ficção cientifica mundial. Leiam!!
Tem a adaptação que não e nada fiel ao livro mas que da pra você curtir aí um filme bem feito e com o Tom Cruise 😁😍

Uma curiosidade:

No dia 30 de outubro de 1938, um programa de rádio desencadeou pânico nos EUA.
Foi a dramatização do livro, transmitida às vésperas do Halloween em forma de programa jornalístico, com efeitos sonoros, gritos, a emoção dos supostos repórteres e comentaristas. Tudo dava impressão a ivasão alienigena estar sendo transmitido ao vivo.
Foi ouvido por milhões de pessoas, só que metade sintonizou quando já havia começado, perdendo a introdução que informava tratar-se do radioteatro semanal. Entraram em pânico, com aglomerações nas ruas e congestionamentos causados por ouvintes apavorados tentando fugir do perigo.

 

Resenha – O Cemitério / Stephen King

Resenha – O Cemitério / Stephen King

WhatsApp Image 2018-09-13 at 12.22.22Resenha

O Cemitério

Stephen King

424 páginas || Editora Suma Das Letras


Sinopse: Louis Creed, um jovem médico de Chicago, acredita que encontrou seu lugar naquela pequena cidade do Maine. A boa casa, o trabalho na universidade, a felicidade da esposa e dos filhos lhe trazem a certeza de que fez a melhor escolha. Num dos primeiros passeios familiares para explorar a região, conhecem um “cemitério” no bosque próximo a sua casa. Ali, gerações e gerações de crianças enterraram seus animais de estimação.

Para além dos pequenos túmulos, onde letras infantis registram seu primeiro contato com a morte, há, no entanto, um outro cemitério. Uma terra maligna que atrai pessoas com promessas sedutoras e onde forças estranhas são capazes de tornar real o que sempre pareceu impossível.


Olá leitores, hoje trago a resenha do livro Cemitério do rei do terror Stephen King.

Mais uma vez o rei me deixa sem palavras e em total estado de estupor durante toda a leitura dessa história. A questão mais trabalhada nessa trama é a morte e suas consequências nas pessoas que a presenciam e que precisam lidar com ela, seja desde animais até mesmo pessoas. Cada um tem sua crença e sua maneira de lidar com a situação, mas na cidade Ludlow nada é tão simples como aparenta ser.

Louis se muda para essa nova cidade com a esposa Rachel e seus filhos Ellie e Gage e logo no primeiro dia faz amizade com Jud seu vizinho, um senhor que teria idade para ser seu pai, e é através dele que a família conhece a trilha e o “cemitério de bichos” que as crianças cuidam com todo carinho.

A vida vai indo bem no trabalho, em casa e na comunidade, mas essa pacificidade começa a abalar quando o gato da família é morto na estrada. Jud leva Louis a outro cemitério, uma extensão do primeiro e conta toda a história do lugar. No outro dia o gato aparece vivo o que deixa-o transtornado e cheio de perguntas.

A cidade carrega uma energia negativa dos antepassados, esse cemitério pode trazer os mortos à vida, porem não devolve o individuo igual ao que era antes, ele volta diferente e nem sempre para o lado bom.

Tudo está em perfeita ordem até acontecer uma fatalidade na família o que nos leva a questionar o que uma pessoa é capaz de fazer para acabar com a dor da morte.