RESENHA: UMA ESCADA PARA O CÉU / JOHN BOYNE

RESENHA: UMA ESCADA PARA O CÉU / JOHN BOYNE

Resenha 🌷
#resenhameuromeo

336 páginas || @john_boyne ||@taglivros


Maurice Swift é um homem bonito, charmoso e sedento por sucesso. A única coisa que lhe falta é talento, mas ele não deixará que esse mero detalhe atrapalhe seu caminho. Afinal, um aspirante a escritor pode encontrar inspiração em qualquer lugar – mesmo que tenha que se apropriar das histórias dos outros. Trabalhando como garçom num hotel de Berlim Ocidental em 1988, Maurice se vê diante da oportunidade ideal: um encontro fortuito com o famoso autor Erick Ackermann. Ele logo cai nas graças do consagrado (mas desesperadamente solitário) romancista e descobre um terrível segredo sobre suas atividades durante a guerra – o material perfeito para um primeiro romance. Depois de alcançar a fama literária, Maurice sabe que nada o fará desistir de manter essa sensação de poder. Passando pela Costa Amalfitana, por Manhattan e por Londres, o pseudoescritor seguirá cultivando sua capacidade de iludir e manipular, usurpando pessoas talentosas e vulneráveis na sua cínica escalada para o topo. Porém, quanto mais alto o voo, maior é a queda… No romance mais recente do autor do best-seller “O Menino do Pijama Listrado”, acompanhamos um homem brilhante, obstinado e sem escrúpulos num psicodrama vertiginoso ao melhor estilo de Patricia Highsmith, a criadora do inesquecível “O Talentoso Ripley”.


Olá leitores, hoje trago a resenha do livro UMA ESCADA PARA O CÉU que eu recebi em parceria na caixinha literária da Tag Livros.

Maurice Swift é obcecado pelo sucesso. Sendo um aspirante a escritor, ele sabe que tem talento para a escrita, só que infelizmente lhe falta criatividade.

E então quando está trabalhando de garçom em um hotel, seu caminho acaba cruzando com o do escritor Erick Ackermann.

E então com essa aproximação totalmente fortuita, ele acaba descobrindo alguns segredos que são inspiração que faltava para que a sua obra.

Alcançando o estrelato que sempre sonhou, ele acha que agora conseguirá viver sempre assim.

Só que a sede por poder não diminui agora que alcançou o estrelado e por isso esse pseudoescritor será capaz de fazer qualquer coisa para continuar no auge.
⠀⠀⠀⠀
🌷Este livro é fascinante de inúmeras formas.
Ele conta toda a história do Maurice e sua sede por poder e o autor conseguiu transmitir de forma tão intensa os sentimentos do personagem que foi impossível não se sentir preso a obra.

Como eu odiei um personagem. Eu odiei tanto o Maurice, mas ao mesmo tempo eu me vi tão envolvida na história, que por pior os sentimentos que ele me despertava, eu não conseguia parar de ler.

A cada página lida, eu ficava pensando em qual seria agora a próxima decisão que ele tomaria, e ficava obcecada torcendo por sua queda.

Pode parecer uma ficção, mas senti pela escrita sentimentos tão reais, que eu fico pensando que de fato existem vários Maurices por aí.

E o que o autor demonstrou na obra, é que dificilmente as pessoas mudam a sua essência, que podem ocorrer mil coisas no decorrer da vida, mas o que elas são de verdade, pode permanecer quieto em um canto, mas no final sempre vem a tona.

Livro incrível e com certeza já entra como um dos favoritos do ano.

Resenha: As sete mortes de Evelyn Hardcastle Stuart Turton

Resenha: As sete mortes de Evelyn Hardcastle Stuart Turton

Resenha 🌷

#resenhameuromeo

480 páginas || Stuart Turton || @taglivros


Sinopse: Dia após dia, um homem acorda em meio aos preparativos de uma festa em honra a Evelyn Hardcastle na Mansão Blackheath. Dia após dia, em um corpo distinto, Cada hospedeiro é uma nova chance de descobrir o culpado pela morte da estrela da festa, que se desvela durante o luxuoso baile de máscaras. Além da confusão da viagem do tempo, os segredos transbordam, e nenhum movimento é simples, pois as regras do jogo não estão claras – e reviravoltas acontecem a todo momento.


Olá leitores, hoje trago a resenha do livro AS SETE MORTES DE EVELYN HARDCASTLE que eu recebi na caixinha da tag inéditos do mês de novembro.

Dezenove anos atrás o filho mais novo do casal de Hardcastle, Thomás foi assinado na beira do lago onde a massão se situa.

Agora passados dezenove anos, a primogênita retorna da França, onde durante uma festa da família é assassinada exatamente no mesmo dia que seu irmão foi quando criança.

E então após este acontecimento, um homem totalmente desconhecido acorda todos os dias no corpo de um dos convidados tentando descobrir quem foi que assassinou Evelyn e qual a sua real motivação.

⠀⠀⠀⠀

🌷Enquanto eu estava lendo, eu só ficava pensando naquela famosa frase: “só sei que nada sei”, porque é exatamente isso que acontece durante praticamente toda a leitura.

Como a história tem muitas voltas temporais e passei praticamente todo o tempo confusa e tentando encaixar as peças desse quebra cabeça que parecia não ter um fim, ou que faltava alguma coisa durante a narrativa que eu tinha perdido e que não se encaixava.

O final deu para desvendar tudo e finalmente eu consegui entender toda a trama e o porque das voltas temporais.

A minha única critica quando a história é o fato de que achei o livro muito longo e que por causa disso em alguns momentos se tornava cansativo, apesar de instigar o leitor a querer descobrir o desfecho e as motivações para o crime.

O ponto que eu mais gostei é que as mudanças temporais e as vivências do personagem “hospedeiro” é que achei tudo muito Black Mirror e pra mim que sou grande fé da série, foi algo que eu gostei e consegui até visualizar o livro como sendo um episódio da série.

Fora isso, vi muitos comentários comparando a história com Ágatha Christie e Sherlock Holmes, mas como não sou grande conhecedora da obra deles, não sei se compararia, mas mesmo assim foi uma leitora instigante e surpreendente demais até a última página.

Recomendo para pessoas que gostam de uma história investigativa, com viagens no tempo e que gostem de ser surpreendidos até a última página.

Resenha: O dia que Selma sonhou com o Ocapi / Mariana Leki

Resenha: O dia que Selma sonhou com o Ocapi / Mariana Leki

Resenha 🌷

#resenhameuromeo

320 páginas || Mariana Leky || @taglivros

Olá leitores, hoje trago a resenha do livro O DIA EM QUE SELMA SONHOU COM UM OCAPI, que eu recebi na caixinha do mês de outubro da Tag Livros.

Selma tem um dom especial. Toda vez que ela sonha com o Ocapi alguém está prestes a morrer.

E a cada sonho, a expectativa e o nervosismo de toda a pequena cidade de Westerwald se acende, já que ninguém sabe quem será a próxima pessoa a morrer.

As 24 horas seguintes são sempre angustiantes, e revelações são sempre feitas, só que o que não se esperava era que depois do último sonho a vida de tantas pessoas mudaria.

⠀⠀⠀⠀

🌷Primeiramente começo dizendo que esse livro trata-se de uma literatura fantástica, o que por si só, já me chamou a atenção quando eu comecei a ler, já que estou totalmente na vibe de livros com fantasia.

No começo eu tive uma expectativa que a história se encaminharia para uma coisa e confesso que fiquei bem surpresa como a autora conduziu de uma forma que eu como leitora não esperava.

O livro é bem leve e tem uma leitura bem fluída, apesar de o começo ser um tanto mais parado, depois de por volta da página 100, a leitura ganha um ritmo muito bom e ficou bem difícil pra mim parar até chegar ao final.

Fiquei surpresa e bem emocionada com os temas tratados, que por mais que seja uma literatura fantástica, a autora conseguiu se aprofundar em temas como o fato de você se importar com as pessoas e sobre a morte que por si só é sempre um tema tocante.

Soltei muitas lágrimas e terminei o livro bem pensativa sobre tantas coisas, que é até difícil falar pra vocês.

Recomendo bastante a leitura pra quem quer sair da sua zona de conforto e conhecer um livro diferente, mas com uma profundidade surpreendente.

Só agradeço mais uma vez a @taglivros por este ano estar me proporcionando sair da minha zona de conforto e conhecer livros que jamais imaginei que fosse gostar.